sábado, 4 de agosto de 2012

ORDENADO PARA SERVIR E AMAR



A Igreja celebra em agosto o mês das vocações e da família, fonte de todas as vocações. Assim, em cada domingo de agosto reza-se por uma vocação específica.Hoje, no primeiro domingo do mês, lembramos a vocação sacerdotal, queremos fazer memória deste dia, popularmente chamado de dia do Padre.Muitas vezes, a vocação sacerdotal é questionada por não se entender o sentido e valor do sacerdócio. Como toda vocação, a vida sacerdotal é primeiramente um chamado específico de Deus, sendo Cristo o sumo sacerdote, que realizou a oferenda perfeita, doando a própria vida para estabelecer a nova aliança, o Padre recebe a graça do chamado de Deus para ser um “novo Cristo”. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda” Jo 15,16.) A exemplo do Mestre Jesus, o sacerdote recebe o chamado para amar e servir. Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenho feito?Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou.Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outro”. (Jo 13:12-14)
Agindo POR Cristo, EM Cristo e COM Cristo, o Padre tem como missão estar a serviço do povo de Deus e com sua vida proclamar como São Paulo:“Eu vivo, mas já não sou eu quem vive, é Cristo que vive em mim” (Gálatas 2,20). Nutrido pela Palavra de Deus, ouvindo os ensinamentos de Jesus, anunciando a boa notícia do reino, o Padre exerce seu ministério profético recebido do próprio Cristo para que nenhuma ovelha se perca. Todavia, não podemos esquecer que todo sacerdote ordenado é um ser humano, Deus escolhe uma pessoa, com suas qualidades e seus obstáculos, com suas luzes e sombras, sendo que, em muitas vezes, o sacerdote pode não corresponder por si só a sua missão, pois, na sua limitação de ser humano não possui forças e pode vir a cair como qualquer outra pessoa. Por isso, no rito da ordenação presbiterial o candidato reza: “Ó Senhor Deus meu, não sou digno que entres em minha habitação. Contudo, honraste Teu servo designando-o para estar em Tua casa, falar em Teu nome e servir a Teu povo. Pai de Misericórdia, dota meu coração de tanto amor para contigo que, amando-te acima de todas as coisas, anuncie em minha existência e doutrina a Tua Palavra de verdade e vida e, tanto em palavras como em ações, tudo faça em nome do Senhor Jesus a quem, contigo e com o Espírito Santo, seja a honra e louvor por todos os séculos. Amém!
Percebemos que a vocação do Padre é querida por Deus, um chamado que vem do alto para viver a radical doação pelo reino. Queremos agradecer a Deus, neste dia do Padre, por todas as vocações sacerdotais que um dia fizeram presença em nossas vidas. Pedimos também ao grande Pai, que derrame abundantemente os dons do Espírito Santo sobre todos os padres ordenados, e que fielmente perseverem em suas missões!

Nenhum comentário:

Postar um comentário