segunda-feira, 9 de agosto de 2010


FALAR OU ESCREVER?
“A internet tem esse grande paradoxo: aproxima quem está longe e afasta quem está perto”

A internet não é mais novidade para ninguém. Grande parte das pessoas tem acesso à rede mundial de computadores, sobretudo os jovens, inclusive das camadas mais baixas da sociedade. Os que não têm computador em casa buscam acesso em lugares públicos (gratuitamente ou a preços acessíveis), como escolas e faculdades ou em “lan-houses” (estabelecimentos comerciais de acesso à internet). Há tempos houve uma invasão de nomes “americanizados” em nossa cultura: Orkut, MSN, Twitter, Google, etc. Navegar na internet tem seus pontos positivos e negativos.
O acesso nos leva a um manancial de informações, a jogos educativos, permite adquirir competências profissionais, comunicação através de correio eletrônico (e-mail) ou conversas “on-line” (CHAT, MSN). Mas, a internet possui várias tentações que podem afetar alguém negativamente. Permite a realização de “fantasias” e a chance de encontrar o “grupo de amigos perfeitos” que a pessoa não tem na vida real. Mas, geralmente o envolvimento com pessoas estranhas nos afasta dos amigos reais e familiares. Além disso, muitas pessoas ficam “presas” ao computador, conversando horas e horas.
Mas, porque será que as pessoas preferem escrever em vez de falar? Porque usar a internet se eu posso ligar ou mesmo falar pessoalmente com alguém? Muitas vezes, as pessoas moram na mesma casa, trabalham na mesma empresa, estão próximas. Um telefonema resolveria tudo, uma conversa “olho no olho” seria melhor. Porque será? O problema é que aquilo que é escrito, muitas vezes não se tem coragem de ser falado.
Por exemplo, a expressão “eu te amo” foi banalizada, principalmente nos e-mails e bate-papos. As pessoas declaram amor a quem conheceu na semana passada. Será que isso é mesmo amor? Provavelmente a maioria das pessoas que escreve isso, não ama de fato a pessoa que está do outro lado. E o pior, se ama não fala quando está frente a frente. Temos vergonha da reação do outro ao dizer algo, não somente sobre amor, mas em relação a Deus, a amizade, a verdade.
As relações virtuais não podem substituir o aperto de mão, o beijo, o carinho, a bronca, o conselho. Enfim, a internet é muito valiosa para quem está longe do amigo, da família, com saudades, mas para quem está perto deve ser usada com moderação e por necessidade.
Quantas vezes recebi mensagens pelo bate-papo que não eram para mim, pois a pessoa com quem “falava”, estava teclando com outras tantas. Em outras oportunidades, esperei muito para receber uma resposta, porque meu amigo (a) internauta estava acessando vários sites ao mesmo tempo. Não dispenso a internet de forma alguma, nem e-mail, nem bate-papo, nem Orkut. Até porque, hoje tudo acontece pela rede, não só conversas e contatos, mas pagamentos, compras, oportunidades. Entretanto, sempre que posso opto pelo contato pessoal ou em viva-voz.
Se você escreve algo para alguém, tipo “eu te amo”, ou “estou com saudades”, ou ainda “você é muito importante”, quando estiver pessoalmente que isso seja dito ou expressado também. Não deixe passar os pequenos momentos que a vida oferece para abraçar e bendizer as pessoas que você ama de verdade. Deus se manifesta nas pessoas e nesses momentos de amor, de amizade. FALE MAIS E ESCREVA MENOS.

Fonte: http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI1711762-EI4799,00.html

Por Eli Marcel

Um comentário:

  1. Internet UM bem ou UM mau? Apenas um clique separa um do outro!!! O internalta que decide.


    abs a todos.

    RaFAEL.

    ResponderExcluir