terça-feira, 11 de maio de 2010

RESSUSCITAMOS OU REENCARNAMOS?

Hoje em dia é muito comum as pessoas fazerem certas confusões sobre assuntos relacionados à fé, e desta forma, criam-se certas idéias que confundem e distorcem as pessoas. Dentre estes assuntos, muito se ouve das pessoas a falta de uma distinção correta sobre a ressurreição e a reencarnação, e o pior, muitos acham que são a mesma coisa.
O tema da morte, que engloba tanto a ressurreição como reencarnação, sempre foi motivo de várias interpretações ao longo da história da humanidade. As religiões mais antigas também discutem este tema.


A reencarnação é uma crença humana, não é uma verdade cientifica. É uma doutrina defendida por religiões orientais (budismo e hinduísmo) e por grupos espíritas. Reencarnar quer dizer ‘’encarnar’’ de novo, ou seja, quando o corpo da pessoa morre, segundo a crença da reencarnação, o seu espírito, ainda não tendo alcançando a perfeição deve purificar-se e desta maneira, retornar a terra num outro corpo.


A ressurreição dos mortos também não é uma conclusão cientifica. Mas para os cristãos é uma verdade de fé que tem em Jesus Cristo a grande prova: “o primogênito dentre os mortos” (Cl 1,18). A fé cristã nos diz que Deus ama a pessoa como um todo (sendo assim, corpo e alma são um só). A pessoa como um todo, está em relação com o mundo e com o semelhante, e se manifesta através do corpo. Assim a fé na ressurreição, é uma conseqüência da própria fé em Deus.

Reza o credo cristão e proclama com toda firmeza a ressurreição dos mortos no fim dos tempos e na vida eterna. Na fé cristã, desde o começo, a ressurreição dos mortos é um elemento essencial. Crendo na ressurreição dos mortos, somos cristãos. A esperança na ressurreição fortalece nossa fé em um Deus criador do homem inteiro, alma e corpo.
Quando falamos em ressurreição, tratamos do corpo transfigurado pelo Espírito de Deus e uma identidade essencial não material do corpo. A fé na ressurreição dos mortos significa um compromisso com a vida aqui e agora. O cristão ao ter esperança na ressurreição, demonstra sua responsabilidade pela criação material, assim, ela também está destinada a uma transfiguração.
Para o cristão, ressurreição não é sinônimo de reencarnação. Ressuscitar significa que o mesmo espírito assume o mesmo corpo no fim dos tempos. Como cristãos professamos a fé na “ressurreição dos mortos”, afirmamos que ressuscitaremos, no fim dos tempos, como Cristo ressuscitou, com nosso corpo glorioso. A morte não tira a vida, mas a transforma.
Não se pode ser cristão e admitir a reencarnação. Se estamos de acordo com a idéia da reencarnação, que admite que a alma , pode separar-se do corpo, discordamos da mesma quando afirmamos que a alma possa, facilmente, passar de um corpo a outro por causa da sua relação particular em relação ao corpo em que ela é principio de vida e movimento. A fé cristã nos ensina que a alma separada do corpo poderá viver com Deus, no amor, mas nossa esperança não se reduz a isso. Só a doutrina da ressurreição corporal satisfaz esta esperança.
A idéia de reencarnação contradiz a Sagrada Escritura e a tradição da fé. Esta doutrina traz uma série de motivos como pano de fundo, como a idéia de purificação dos erros até o presente momento, mas a doutrina cristã nos diz que uma série infinita de vidas terrenas não seria suficiente para a purificação e a plenitude do homem. Só Deus e a vida Nele é santificação, justificação e plenitude do homem. Além disso, segundo a concepção cristã, não se pode separar corpo e alma de maneira tão radical que a alma possa possuir diferentes corpos sem com isso perder sua própria identidade.
A ilusão da reencarnação está na idéia de que o homem pode salvar-se apenas por suas próprias forças, sem que se tenha a necessidade nem de Deus, nem de ninguém para consegui-lo.
Embora seja simpática e atraente a idéia da reencarnação por oferecer novas oportunidades, o cristão deve ter clareza de que ela é inconciliável com a ressurreição de Jesus, dos apóstolos e da tradição que a Igreja nos ensina. Por isso, o cristão crê na ressurreição e não na reencarnação.

Fonte: ZILLES, Urbano. Reencarnação ou Ressurreição? Série pensar. Porto Alegre: EST edições. 1996.


Por Francisco

Um comentário:

  1. Muito fraca esta tese defendida por Francisco.As traduções bíblicas possuem mais de 50.000 adulterações.Quando partimos para um estudo menos hermético podemos compreender melhor este assunto. Sugiro que o amigo estude a Cabala Judáica e a Doutina dos Essênios e por último leia o Livro dos Espíritos. Mas faça isso con zelo,desprovido de qualquer posição dogmática e constatarás que ressureição é símbolo e reencarnação é fato comprovado pela Ciência Espírita, referendado pela Física Quântica e perfeitamente armonizado com a Justiça Divina.

    ResponderExcluir