terça-feira, 19 de outubro de 2010

A FORMAÇÃO CRISTÃ NA EDUCAÇÃO

A educação cristã deve ser aquela prática educativa construída sobre uma visão de ser humano e de sociedade na relação explicita com a fé cristã, na perspectiva de realizar o Reino de Deus. O conceito de trabalho nessas condições realizado nas escolas deve caracterizar um diálogo que busque formular objetivos e estratégias que visem uma integração conforme a fé cristã de cada individuo. Nesta relação seria então possível falar em uma educação popular cristã que se realize de forma organizada, com propostas fundamentadas na Sagrada Escritura.
Se olharmos as diversas maneiras de enquadrar a disciplina religião nas escolas, vamos notar que para isso é necessário que se faça reflexões de organizar e estabelecer critérios para que todos os educandos possam integrar-se a uma linguagem de religião, e que fiquem estabelecidos os verdadeiros critérios de bons cristãos, especialmente aqueles que são inspirados na Palavra de Deus.
A educação no mundo vem sofrendo vários tipos de transformações e mudanças. Dentre essas mudanças e inversão de valores, estão colocados os seguintes aspectos de educação: A educação escolar, negada à maioria, vista como uma ameaça para a política opressora; os baixos salários e a injusta política na educação; evasão e repetência; conteúdos desvinculados da realidade e das necessidades do educando; falta de participação; recursos insuficientes, ausência de uma política educacional adequada; a escola católica tradicional, eliminando-se, muitas delas não conseguindo vivenciar uma educação libertadora; desqualificação do educador; as escolas sendo meras transmissoras do saber; a educação para o trabalho visando apenas atender às necessidades do mercado e tantos outros. Isso somente para termos uma idéia da abrangência da problemática existente.
Esses problemas vistos acima, não são meros “por acasos”, o que acontece na verdade é que não existe uma política educacional que estabeleça relações com a classe educacional. Os valores da educação, aos poucos vão enfraquecendo os vínculos dos educadores que se dedicam a ela por vocação.
A educação como sistema e organização para a sociedade, sente a necessidade de que há muito ainda a fazer para que se possam estabelecer critérios de igualdade na sociedade. Os problemas se encontram presentes, mas temos que saber que há mudanças também. Mas daí os questionamentos vem à tona: O que fazer diante desses novos desafios? Existe saída para uma sociedade sem educação?. São perguntas que incomodam, nos fazem refletir e nos trazem certa preocupação, pois cientes dos fatos que a humanidade vagueia cegamente neste acelerado processo de competição e exclusão, as conseqüências poderão comprometer seriamente o futuro das novas gerações. Por isso, que ainda temos esperança, para que as novas gerações não se percam. Tem coisas sendo feitas, mas ainda há muito que fazer, por isso não desanimemos e tenhamos fé que com muita dedicação e formação o amor vencerá todos os preconceitos, as amarras e tudo aquilo que oprime o homem.

Por Ricardo

Nenhum comentário:

Postar um comentário